Exposição a Fumos de plásticos: Como descobrir o que avaliar?

Quando se tem um processo em que há utilização de plástico a alta temperatura, consequentemente, será gerado os fumos de plástico. Mas você sabe como identificar os compostos mais comuns que são gerados?  Como fazer o reconhecimento de riscos?

Acompanhe o artigo e saiba mais!

Não se esqueça de curtir a nossa FanPage e ficar por dentro de todas as dicas e novidades!

Todas as terças-feiras às 19h temos nossas lives sobre o que há de mais novo e mais moderno em Higiene Ocupacional. Um conteúdo técnico e direcionado da área. Toda semana um assunto novo e convidados especiais. Aproveite e se inscreva para a nossa live da próxima semana, clique aqui e garanta a sua vaga!

A Indústria de Plástico

O plástico é utilizado na indústria para a fabricação de diferentes produtos, e atualmente a indústria do plástico é uma das mais importantes para a cadeia produtiva do mundo todo. Para falarmos dos plásticos, é preciso entender quais são os processos mais comuns envolvidos. 

O plástico, muitas vezes, é utilizado para substituir os metais. Os produtos dos metais e dos plásticos são muito parecidos, todos eles partem-se de um sólido a temperatura ambiente, em que é necessário aquecer esse material para que ele seja utilizado para na forma proposta, dessa forma são gerados os fumos. 

Quando aquecemos um metal, são gerados os fumos metálicos. E quando eu aqueço um plástico, eu gerados os  fumos de plásticos. Lembrando que “fumos” é uma denominação, podemos defini-lo como um tipo de aerodispersóide, ou seja,  um material que é sólido à temperatura ambiente, e que, quando aquecido, ele liquefaz volatiliza indo para o ar onde a temperatura está mais baixa e consequentemente gera pequenos materiais sólidos suspensos no ar.

Diferentemente dos metais, ao aquecer o plástico, ele começa a se decompor, por ser um composto orgânico e exposto a altíssimas temperaturas; as ligações químicas ali presentes começam a quebrar gerar substâncias que podem ser tóxicas quando inaladas. 

Os processos que geram fumos de plásticos são diferentes de um processo de combustão. Na combustão, nós temos a queima desse material, reagindo com o oxigênio. A geração de fumos por meio de aquecimento é diferente e, neste artigo trataremos especificamente desses processos e não de combustão.

Tipos de Polímeros

Os polímeros são divididos em 2 classes:

  • Os polímeros termoplásticos

São aqueles que quando você aquece,  amolecem e se tornam um líquido. 

  • Os polímeros termofixos

 Têm uma estrutura rígida, e quando aquecidos não se liquefazem, eles se decompõem. 

Por exemplo:

Se você tem um tubo de PVC e tem a dificuldade de fazer a junção dele, você o aquece e ele consegue se expandir. Então é possível moldar polímeros termoplásticos. Já os materiais termofixos eles não amolecem, então eles começam a decompor. Caso mais comum: quem nunca sentiu aquele cheiro ruim em casa quando queima o cabo da panela?  O que queima é baquelite, que é uma resina fenólica e é um termofixo; ela não amolece e com uma temperatura muito alta ela começa a se degradar.

Quais são os  polímeros termoplásticos mais comuns em processos industriais?

Polietileno de baixa ou alta densidade, polipropileno, poliestireno e PVC.

Esses são os mais comuns que a gente encontra no nosso dia a dia.

E os termofixos são as resinas: Fenol, formaldeído e uréia-formaldeído. 

Em quais processos podemos encontrar esses plásticos na indústria?

  • Processo de extrusão: um plástico que será aquecido, e será pressionado a sair em um orifício.
  • Processo de moldagem: através de um molde, moldagem por sopro, compressão ou por temperatura. 
  • Processo de soldagem
  • Processo de calandragem: formação de filmes, como o de PVC.

O que é importante levantar durante o processo?

Qual a temperatura do processo?

Que tipo de plástico está ali presente?

Para que os plásticos possuam as propriedades mecânicas e térmicas de que precisam, são colocados vários aditivos neles, que podem conferir riscos aos trabalhadores dependendo do tipo de aditivo que está sendo utilizado.

E como a gente faz reconhecimento de riscos? 

Você precisa dessas informações para saber quais riscos podem ser gerados ali quando utilizado um material polimérico. 

Primeiramente é saber qual o tipo de plástico sendo utilizado, qual a temperatura do processo. Muitos plásticos se decompõem em moléculas como formaldeído, monóxido de carbono e também é muito comum nos precursores desses materiais, os monômeros.

Exemplo, o PVC a 200 °C, se decompõem principalmente em ácido clorídrico e cloreto de vinila.

Para mais informações sobre os compostos gerados recomendo a leitura do artigo disponível neste link.

Ficou com alguma dúvida? Deixe o seu comentário!

A HO Fácil realiza treinamentos e palestras de Higiene Ocupacional com a finalidade de preparar profissionais para se destacarem no mercado de saúde e segurança do trabalho. Oferecemos formação profissional para que nossos alunos dominem os riscos químicos, físicos e biológicos. Se você quer ficar 100% preparado para atuar no mercado de Higiene Ocupacional com segurança e confiança chegou a sua hora.  Contate-nos e saiba mais! 

Por: HO Fácil

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Gmail

5 de agosto

Pare de analisar Fumos Metálicos em Higiene Ocupacional