Qual o limite de exposição ocupacional para poeira de papel?

A segurança e a saúde no ambiente de trabalho são fundamentais para a prevenção de doenças ocupacionais e acidentes. Neste contexto, a identificação precisa dos limites de exposição ocupacional para agentes químicos específicos desempenha um papel crucial. Tais limites são essenciais para orientar a coleta de amostras ambientais de forma adequada, visando a proteção da saúde dos trabalhadores. Contudo, nem todos os agentes possuem limites de exposição claramente estabelecidos nas regulamentações, o que pode levar a incertezas sobre quais padrões aplicar. Entre esses agentes encontra-se a poeira de papel, um composto presente em uma vasta gama de atividades laborais, que varia do comércio à produção industrial. A presença da poeira de papel nos ambientes de trabalho suscita preocupações significativas para a saúde dos trabalhadores expostos, evidenciando a necessidade de uma abordagem mais detalhada e específica para estabelecer limites seguros de exposição.  

Acompanhe este artigo para descobrir como um higienista ocupacional pode transformar o ambiente de trabalho, tornando-o mais seguro e saudável para todos.  

Não se esqueça de curtir a nossa FanPage e ficar por dentro de todas as dicas e novidades!        

Todos os dias temos conteúdo novo e gratuito sobre temas que irão facilitar a avaliação de Agentes Químicos para Higiene Ocupacional. Um conteúdo técnico e direcionado para a área. Aproveite e siga meu perfil no Instagram @leandromagalhaes_oficial para ficar por dentro de tudo! 

  

Os riscos da poeira de papel 

  

A ausência de um limite de exposição ocupacional específico para a poeira de papel frequentemente leva à percepção equivocada de que esse agente químico não apresenta riscos significativos à saúde. Contudo, a definição de limites baseia-se em evidências científicas que demonstram a potencialidade do risco, assim como na priorização de estudos por órgãos reguladores. A falta de um limite específico pode refletir a ausência de interesse em investigações detalhadas por parte desses órgãos ou, alternativamente, a escassez de estudos conclusivos sobre os efeitos nocivos do agente. 

  

Contrariando essa percepção, existem diversos estudos que apontam para os riscos associados à exposição à poeira de papel. Entre as consequências mais documentadas estão a irritação de olhos, pele e garganta, além de impactos na parte superior do trato respiratório. Mais alarmante ainda são as evidências que ligam a exposição prolongada à poeira de papel ao desenvolvimento de asma ocupacional, uma condição séria que evidencia a necessidade de uma avaliação cuidadosa e da implementação de medidas preventivas no ambiente de trabalho. 

  

Qual limite ocupacional utilizar para a poeira de papel? 

  

Diante da falta de um limite específico para a poeira de papel na NR-15, profissionais da saúde ocupacional buscam alternativas em normativas internacionais e metodologias de avaliação de risco. Embora a ACGIH forneça limites para celulose, que a primeiro momento poderia ser interpretada como aplicável à poeira de papel, não se aplica diretamente à realidade do papel como material de trabalho, porém, o enquadramento como partículas não especificadas de outra maneira (PNOS) é possível, pois atende as regras previstas. A OSHA, por sua vez, estabelece um limite para poeiras incômodas de 15 mg/m³, mas especifica que tal valor não se aplica a poeiras orgânicas, categoria na qual a poeira de papel frequentemente se enquadra. Já a Health and Safety Executive (HSE) do Reino Unido não define um limite específico para poeira de papel, mas considera perigosa para a saúde qualquer poeira, incluindo a de papel, em concentrações iguais ou superiores a 10 mg/m³ para poeira inalável ou 4 mg/m³ para poeira respirável. 

  

Nesse cenário, a ferramenta de control banding emerge como uma abordagem valiosa para profissionais da higiene ocupacional. Esta metodologia permite a identificação de medidas de controle baseadas no potencial de risco, mesmo na ausência de limites específicos de exposição, promovendo assim uma gestão de saúde ocupacional proativa e adaptada às particularidades de cada ambiente de trabalho. 

 

A HO Fácil realiza treinamentos e palestras de Higiene Ocupacional com a finalidade de preparar profissionais para se destacarem no mercado de saúde e segurança do trabalho. Oferecemos formação profissional para que nossos alunos dominem os riscos químicos, físicos e biológicos. Se você quer ficar 100% preparado para atuar no mercado de Higiene Ocupacional com segurança e confiança chegou a sua hora.  Contate-nos e saiba mais!  

 

Quer complementar o assunto? Assista a aula abaixo: 

Inscreva-se em nosso canal do Youtube clicando aqui. 

Por: Leandro Magalhães

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Gmail

16 de junho

Gestão Eficaz em SST: Deixe o Trabalho Técnico para Trás