Principais doenças ocupacionais no Brasil

As doenças ocupacionais são aquelas causadas pela atividade profissional do indivíduo. Atualmente, um trabalhador que desenvolve uma doença ocupacional possui, legalmente, os mesmos direitos que o acidente de trabalho. Porém, nem sempre foi assim – somente no ano de 1970 as doenças ocupacionais ganharam outra conotação, pois anteriormente, somente acidentes de trabalho eram relacionados à enfermidades provenientes da profissão. Já no ano de 1980, com o aumento da tecnologia no país, as doenças de cunho ergonômico tornaram-se muito comuns. E, nos anos 2000, doenças de caráter psicossocial, como depressão, estresse e síndrome do pânico obteram crescimentos assustadores.

Pensando nisso, trouxemos as principais doenças ocupacionais no Brasil, e como evitá-las.

Não se esqueça de curtir nossa FanPage para ficar por dentro de todas as nossas dicas e novidades!

Doenças ocupacionais são silenciosas

As doenças ocupacionais em sua maioria são lentas e ocorrem de maneira silenciosa, instaurando-se no organismo do trabalhador através dos anos. Atualmente, existem diversos tipos de procedimentos preventivos – de acordo a atuação da empresa e do trabalhador – como análises químicas do ar e do ambiente, análises de riscos ergonômicos, exames médicos e afins, que visam melhorar a qualidade de vida do trabalhador, evitando a ocorrência de tais enfermidades.

Tipos de doenças ocupacionais

As doenças ocupacionais variam de acordo com a atuação do trabalhador. Elas são divididas em: por repetição, respiratórias, de pele, auditivas, de visão e psicossociais. A seguir, explicitaremos cada uma mais à fundo.

Doenças ocupacionais por repetição 

– Lesão por esforços repetitivos e Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho: conhecidas popularmente como ‘LER’ e ‘DORT’, ambas são causadas pela realização de movimentos repetitivos ou postura inadequada, e provocam uma dor crônica que tende à se intensificar com o passar do tempo. A LER pode ocorrer fora do ambiente de trabalho, já a DORT, não.

Doenças ocupacionais respiratórias

 Asma ocupacional: é gerada através da inalação de partículas, como couro, poeira, algodão, sílica, madeira, cimento e afins. Ela se inicia com a ocorrência de tosses crônicas, falta de ar e chiado no peito, podendo levar até a paradas respiratórias e câncer de pulmão.

– Silicose: a silicose é uma doença irreversível, provocada pela poeira de sílica nos pulmões inalada pelo trabalhador. O material deposita-se na parte interna no pulmão, dificultando de forma gradativa a respiração, podendo levar à óbito por insuficiência respiratória.

– Antracose: é a doença provocada pelo acúmulo de resíduos de carvão nos pulmões. É mais comum em mineirosm carvoeiros, trabalhadores de grandes centros urbanos e/ou moradores de áreas muito poluídas.

– Bissinose: doença provocada pelo acúmulo de poeira de fibras de linho, cânhamo e/ou algodão nos pulmões.

– Siderose: causada pelo acúmulo de partículas de ferro nos bronquíolos, a siderose é mais comum em trabalhadores de minas de ferro, e apresenta-se através de falta de ar constante.

Principais doenças ocupacionais de pele 

– Dermatose ocupacional: a dermatose ocupacional é causada pelo contato com graxa ou óleo mecânico com a pele do trabalhador, geralnente mecânicos e trabalhadores industriais. A dermatose ocupacional ocasiona em reações alérgias, criando ‘placas’ na pele do trabalhador.

Principais doenças ocupacionais auditivas

– Surdez/PAIR: a perda da audição proveniente do trabalho pode ser temporária ou definitiva (pair), sendo comum à trabalhadores que são constantemente expostos a ruídos. A doença ocorre de maneira gradativa, levando o trabalhador à perda total ou parcial da audição.

Principais doenças ocupacionais da visão 

– Catarata: a catarata só é considerada uma doença ocupacional caso resulte da atividade profissional do indivíduo, como por exemplo, a exposição constante à altas temperaturas.

– Desgaste da visão: o desgaste da visão de cunho ocupacional afeta, geralmente, trabalhadores noturnos, pois desregula a produção dos hormônios que ocorrem durante o sono.

Como evitar doenças ocupacionais?

O mais adequado para evitar doenças ocupacionais é usar EPI’s, evitar jornadas de trabalho exaustivas e driblar a pressão, além de respeitar intervalos necessários e atentar-se sempre à postura correta. Além disso, é valiosos estar atento aos primeiros sinais de desconforto físico ou metal, procurar auxílio médico à qualquer sensação irregular.

A Analytics Brasil pode auxiliar sua empresa à evitar a ocorrência de doenças ocupacionais! Oferecemos serviços de análises químicas do ar, assessoria e consultoria em higiene ocupacional, além de treinamentos e palestras para seus funcionários. Contate-nos e saiba mais!

Ficou alguma dúvida? Deixe seu comentário!

Referências Bibliográficas

Artigo ‘Análise de Doenças Ocupacionais no Brasil’ – IBRAM

Por: Redator Analytics Brasil

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Gmail

5 de agosto

Pare de analisar Fumos Metálicos em Higiene Ocupacional