O Motivo dos Tubos Serem Tratados com Agentes Químicos

Neste artigo, eu Leandro Magalhães, vou responder ao questionamento do Alexsandro, do Rio Grande do Sul, que enviou a sua dúvida através do Formulário da Analytics Responde. Clique aqui para fazer como o Alexsandro e enviar sua dúvida.

Por que os amostradores, tubos e cassetes, são tratados com agentes químicos e qual o motivo de serem mantidos refrigerados?

Alexsandro

Para as amostragens de agentes químicos, são utilizados diversos tipos de equipamentos, que podem ser classificados como aparelhos de leitura direta (a medida da concentração do agente químico é feita pelo próprio aparelho sem a necessidade de análise laboratorial), e os  amostradores (o material é coletado para verificação em laboratório).

Tipos de amostradores

Os amostradores são de dois tipos: existem aqueles que colhem o ar total, isto é, ar + contaminante, e aqueles que colhem somente o contaminante.

  1. Amostradores de ar total

Coleta um volume de ar contaminado para posterior análise dos contaminantes. Não é recomendável para coleta de poeiras e fumos metálicos, pois podem se depositar nas superfícies internas do equipamento.

  1. Amostradores de separação dos contaminantes do ar

O ar contaminado passa através de um meio coletor adequado, separando-se, assim, os contaminantes do restante do ar. Princípios utilizados no processo:

Absorção: retenção em meio líquido;

Adsorção: retenção em meio sólido;

Condensação: mudança do estado gasoso para o estado líquido.

Uma maneira de coletar agentes químicos voláteis é através de uma reação química com o material do tubo ou cassete. Quando um contaminante gasoso ou outro tipo de contaminante reage, ele é retido no filtro ou no tubo pela reação química. Para que isso aconteça o tubo ou cassete é tratado  com um agente químico específico para que aquele contaminante ao passar pelo amostrador fique preso através dessa reação química.

Em um tubo de carvão ativo, por exemplo, o mecanismo de tratamento é a adsorção, em que há a interação intermolecular com o carvão ativo e/ou com substâncias utilizadas no tratamento do carvão, diferentemente dos filtros e cassetes que utilizam o sistema de filtração mecânica.

Ao tratar quimicamente o amostrador é preciso ficar atento à estabilidade do material que depende intrinsecamente de sua temperatura, e por esse motivo, a maioria dos amostradores quimicamente tratados necessitam de refrigeração. Quanto menor a temperatura, maior a estabilidade do reagente no qual é tratado o tubo ou o cassete. O processo de refrigeração é essencial para garantir a durabilidade do amostrador.

Vale ressaltar que muitos contaminantes já estão presentes no ar e, com a diminuição da temperatura, a velocidade das reações também é alterada (diminuída). E isso reforça  a necessidade de refrigeração do amostrador, pois a chance de contaminação também diminui.

Todas as vezes que receber um amostrador tratado fique atento às indicações do método. O laboratório é quem irá avaliar se os tubos devem ser mantidos refrigerados antes da amostragem para que sejam conservados nas condições ideais de coleta. Isso é fundamental para garantir resultados reais.

 

Quais os amostradores mais comuns que devem ser tratados e mantidos refrigerados?

Amostradores para formaldeído

Amostradores para anidridos

Amostradores para anidrido ftálico

Para saber mais sobre reconhecimento de riscos e sobre Higiene Ocupacional não deixe de curtir as redes sociais da Analytics Brasil!

Confira o vídeo completo, disponível no Youtube, sobre O Motivo dos Tubos Serem Tratados com Agentes Químicos:

 

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=hvFQoyGsTys[/embedyt]

Por: HO Fácil

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Gmail

5 de agosto

Pare de analisar Fumos Metálicos em Higiene Ocupacional