Galvanoplastia: Quais riscos químicos avaliar para higiene ocupacional?

galvanoplastia

Galvanoplastia: Quais riscos químicos avaliar para higiene ocupacional? 

 

Eventualmente, um Higienista Ocupacional pode se deparar com atividades de Galvanoplastia. Nesse tipo de processo, é comum conter muitos produtos químicos. E aí surgem as dúvidas sobre o que realmente deve-se avaliar. 

 
Acompanhe este artigo! 

Não se esqueça de curtir a nossa FanPage e ficar por dentro de todas as dicas e novidades!       

Todas as terças-feiras às 19h temos nossas aulas gratuitas sobre temas que irão facilitar a avaliação de Agentes Químicos para Higiene Ocupacional. Um conteúdo técnico e direcionado da área. Toda semana um assunto novo. Aproveite e se inscreva para a live da próxima semana,  clique aqui  e garanta a sua vaga! 

Para começo de conversa, um processo de galvanoplastia envolve muitos produtos químicos e, em geral, com alta toxicidade. Um Higienista Ocupacional que foca apenas na medição de agentes químicos terá dificuldades na tomada de decisão e, consequentemente, gerará custos desnecessários com avaliações. 

 Galvanoplastia 

A galvanoplastia é um processo eletrolítico de recobrimento de metais por meio da aplicação de uma fina camada de um outro metal.  Ela é realizada por meio de uma imersão do material base em um banho contendo íons do metal de recobrimento com diferença de potencial elétrico. A partir disso, é possível conferir novas propriedades fisico-químicas ao material base como aumento de durabilidade, características mecânicas ou estéticas. 

Riscos químicos em Galvanoplastia 

Existem alguns tipos de banhos que podem ser utilizados em galvanoplastia. Cada um deles poderá gerar riscos químicos específicos de acordo com a faixa de temperatura e substâncias químicas presentes.  

 

Ácido simples: Cátion do metal em solução com sulfato, fluorborato, sulfamatos e outros. Temperatura entre 20 – 50ºC. Podem ser utilizados os metais cobre, estanho, zinco, níquel, cobalto, chumbo e ferro. 

  

Ácido complexo: Ânion do metal é depositado através de um estágio intermediário com formação de cromato e dicromato em solução de ácido crômico. Temperatura entre 40 – 60ºC. Podem ser utilizados os metais níquel, cromo e estanho. 

 

Alcalino simples: Melhor exemplo é o banho de estanho em que estanato de potássio e água forma um hidróxido. Temperatura entre 80 – 90ºC. Podem ser utilizados os metais estanho e níquel. 

 

Alcalino complexo: Geralmente banhos de cianeto requerem eletrólise alcalina para evitar a formação de ácido cianídrico. Temperatura entre 20 – 70ºC. Podem ser utilizados os metais prata, ouro, cádmio, cobre, zinco, latão e bronze. 

Formas de dispersão de agentes químicos 

Para um adequado reconhecimento de riscos químicos, é necessária a compreensão sobre as formas com que os agentes químicos podem se dispersar no ar.  

Quando os metais estão apenas em solução em forma de íons no banho, o risco de absorção pela via respiratória é desprezível. Mas a partir do momento em que há um aquecimento a ponto de ser possível o arraste dos metais junto com o vapor liberado, o risco deve ser avaliado. 

Devido a presença de ácidos e o aquecimento do banho, dependendo da temperatura utilizada, podem ocorrer a geração de névoas desses ácidos que podem ser dispersas no ar.  

Por fim, o Higienista Ocupacional deve assumir o seu lado cientista. Não é exigido que ele saiba tudo sobre todos os processos. Mais importante que isso, é saber buscar as informações sobre o processo seja na literatura ou com os responsáveis por ele. 

A HO Fácil realiza treinamentos e palestras de Higiene Ocupacional com a finalidade de preparar profissionais para se destacarem no mercado de saúde e segurança do trabalho. Oferecemos formação profissional para que nossos alunos dominem os riscos químicos, físicos e biológicos. Se você quer ficar 100% preparado para atuar no mercado de Higiene Ocupacional com segurança e confiança chegou a sua hora.  Contate-nos e saiba mais! 

Quer complementar o assunto? Assista a aula abaixo: 

 

 

Inscreva-se em nosso canal do Youtube clicando aqui. 

Por: Leandro Magalhães

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Gmail

12 de agosto

NÃO COMETA ESSES 3 ERROS USANDO O ANEXO 13 DA NR15