Poeira de Madeira: Desvendando a exposição a esse agente químico

Poeira de Madeira? Poeira Vegetal? Como enquadrar? O que fazer quando estamos avaliando a exposição ocupacional a este agente? Neste artigo, eu Leandro Magalhães, irei desvendar os mistérios que cercam este agente químico.

Acompanhe o artigo!

Não se esqueça de curtir a nossa FanPage e ficar por dentro de todas as dicas e novidades!

Todas as terças-feiras às 19h temos nossas lives sobre o que há de mais novo e mais moderno em Higiene Ocupacional. Um conteúdo técnico e direcionado da área. Toda semana um assunto novo e convidados especiais. Aproveite e se inscreva para a nossa live da próxima semana, clique aqui e garanta a sua vaga!

A poeira de madeira gera insalubridade?

Não há menção da poeira de madeira nos anexos 11, 12 e 13 da NR-15. O anexo 12 que trata de poeiras, só deve ser aplicado para poeiras minerais. Logo, a poeira de madeira não gera insalubridade.

Como tratar a poeira de madeira no PPRA?

Na nossa NR-9 para a elaboração de PPRA, devem ser observados os limites de tolerância estabelecidos pela NR-15 e na ausência destes limites deve-se ser consultada a ACGIH. A ACGIH estabelece o limite de tolerância para poeira de madeira na fração inalável. Portanto, devemos considerar este agente durante a confecção do PPRA.

A primeira coisa deve ser entendida é que o limite de tolerância para madeira estabelecido pela ACGIH, irá variar de acordo com a espécie da madeira. Cada composição vegetal possui efeitos diferentes no organismo humano, sendo algumas até carcinogênicas, o que complica a situação quando pensamos em LINACH e aposentadoria especial.

Trabalhadores que manipulam madeira podem ter aposentadoria especial?

De acordo com a LINACH, para um agente ser comprovadamente carcinogênico ele deve ter registro CAS e estar no grupo 1 (carcinogênicos para humanos). No entanto a poeira de madeira não tem número CAS. Portanto, conforme o decreto nº 3048, quem trabalha com a poeira de madeira não pode ter aposentadoria especial.

Infelizmente de acordo com a própria ACGIH, o TLV estabelecido para a poeira de madeira não é um limite bem embasado e conclusivo.  Como existem vários tipos de madeira, faltam estudos mais elaborados para que seja possível estabelecer um limite mais assertivo. Por isso, mesmo protegendo os trabalhadores com o limite de ACGIH, é de suma importância se manter atento aos exames biológicos de trabalhadores que estejam expostos a poeira de madeira.

Ficou com alguma dúvida? Deixe o seu comentário!

A HO Fácil realiza treinamentos e palestras de Higiene Ocupacional com a finalidade de preparar profissionais para se destacarem no mercado de saúde e segurança do trabalho. Oferecemos formação profissional para que nossos alunos dominem os riscos químicos, físicos e biológicos. Se você quer ficar 100% preparado para atuar no mercado de Higiene Ocupacional com segurança e confiança chegou a sua hora.  Contate-nos e saiba mais! 

Por: Redator Analytics Brasil

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Gmail

5 de agosto

Pare de analisar Fumos Metálicos em Higiene Ocupacional