Benzeno e Gasolina: o que diz a Higiene Ocupacional

benzeno

Sempre nos deparamos com muitos higienistas que ainda não conseguem andar sozinhos por não dominarem os agentes químicos. Dentre as dúvidas que mais chegam até nós, aquelas associadas a exposição ocupacional de benzeno na gasolina é figurinha repetida no álbum. Nossa missão é tornar fácil a avaliação de riscos químicos, e para te ajudar a dar mais este passo, hoje vamos falar sobre a grande polêmica do benzeno na gasolina.

Não se esqueça de curtir a nossa FanPage e ficar por dentro de todas as dicas e novidades!

Todas as terças-feiras às 19h temos nossas aulas gratuitas sobre temas que irão facilitar a avaliação de Agentes Químicos para Higiene Ocupacional. Um conteúdo técnico e direcionado da área. Toda semana um assunto novo. Aproveite e se inscreva para a live da próxima semana, clique aqui e garanta a sua vaga!

Acompanhe este artigo!

A presença de benzeno na gasolina

Existe benzeno na gasolina? Sim, fato. A quantidade é significativa? Não. As exposições ao benzeno por frentistas de postos de combustível e trabalhadores que estão no dia a dia manipulando gasolina, segundo nossa experiência, na maioria dos casos, não são significativas. No entanto, esse assunto ainda é alvo de grande discussão pelos correlatos a segurança do trabalho, pois, infelizmente, existe um lobby associado ao benzeno e os trabalhadores potencialmente expostos a essa substância.

Por onde começar

A primeira coisa é, como dizem em Minas Gerais: “parar de inventar moda!”, se você buscar os fundamentos mais importantes da Higiene Ocupacional, que mostramos no Método HO Fácil, afim de facilitar a avaliação dos agentes químicos, você vai compreender essas situações de maneira simples e será capaz de tomar decisões sozinho.

O próximo passo é entender quais são os limites de exposição ocupacional relacionados ao benzeno e a gasolina e o porquê de se fazer uma avaliação.

A visão da aposentadoria especial

Quando nos referimos aos laudos para aposentadoria especial como o LTCAT, a maior referência que temos é o Decreto Nº 3048. O decreto traz que qualquer mínima possibilidade de exposição a substâncias comprovadamente carcinogênicas pode garantir o enquadramento da situação de aposentadoria especial. O benzeno, por sua vez, é uma dessas substâncias comprovadamente carcinogênicas a humanos. No entanto, a atualização do Decreto Nº 10.410 determina que quando tomadas medidas protetivas que garantam que o trabalhador não tem exposição significativa ao agente de risco o enquadramento qualitativo pode ser elidido. Então, é importante ter em mente que se há medidas para conter, diminuir, controlar essas exposições a níveis insignificativos, pode se extinguir o enquadramento da aposentadoria especial.

A visão da insalubridade

Quando falamos de insalubridade, nós não temos um limite de exposição ocupacional na NR15 para a gasolina ou benzeno. Para o benzeno, o único enquadramento que existe é um enquadramento qualitativo a partir do anexo 13. [Existe o anexo 13A que trata do benzeno e traz um valor de referência tecnológica (VRT) para essa substância. No entanto, o anexo deixa claro que o VRT não é um limite de exposição ocupacional, além disso, não é aplicável a postos revendedores de combustível]. Em conclusão, para insalubridade, não temos limite para benzeno, logo não se deve medir. O enquadramento é qualitativo.

A visão do gerenciamento de riscos

Para o gerenciamento de riscos, o que deve ser contemplado no PGR, GRO, etc… vai valer o que está na ACGIH, e a ACGIH traz um limite próprio para a gasolina. A gasolina é uma mistura de várias substâncias e no limite da gasolina da ACGIH todos estes componentes já foram contemplados, inclusive a parcela referente ao benzeno. Já pensou se você tivesse que medir todos os componentes da gasolina separadamente? Te conto que são mais de 400 substâncias! Logo, nesse caso você não vai se preocupar com benzeno, você precisa apenas gerenciar o risco da exposição a Gasolina.

A HO Fácil realiza treinamentos e palestras de Higiene Ocupacional com a finalidade de preparar profissionais para se destacarem no mercado de saúde e segurança do trabalho. Oferecemos formação profissional para que nossos alunos dominem os riscos químicos, físicos e biológicos. Se você quer ficar 100% preparado para atuar no mercado de Higiene Ocupacional com segurança e confiança chegou a sua hora. Contate-nos e saiba mais!

Quer complementar o assunto? Assista a aula abaixo:

Inscreva-se em nosso canal do Youtube clicando aqui.

Benzeno na gasolina: um assunto que há anos provoca discussão entre os profissionais de SST. Tudo que um Higienista Ocupacional precisa saber.

Por: HO Fácil

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Gmail

12 de agosto

NÃO COMETA ESSES 3 ERROS USANDO O ANEXO 13 DA NR15