Asbestose: a doença respiratória ocupacional silenciosa

A asbestose é uma pneumoconiose causada pela aspiração de poeiras com asbesto (amianto), resultando em um tipo de fibrose pulmonar crônica irreversível. Para saber mais sobre a asbestose, os riscos que os trabalhadores expostos ao asbesto correm, e os malefícios que podem ser causados para a saúde financeira da empresa, continue lendo este artigo!

Não deixe de curtir nossa FanPage para ficar por dentro de todas as dicas e novidades.

Asbestose

A pneumoconiose (doença que atinge o sistema respiratório e que é relacionada ao trabalho) chamada ‘asbestose’ é causada pela aspiração de poeiras que contenham fibras de asbesto (comercialmente conhecido como amianto), e é uma doença irreversível. A asbestose consiste no aparecimento de cicatrizes no pulmão, o qual se denomina ‘fibrose’. Em função disto, o tecido do pulmão fica impossibilitado de se expandir e se contrair normalmente, ficando ‘endurecido’.

O asbesto é uma fibra natural, encontrada na natureza sob duas formas:serpentina (amianto branco) e anfibólio (marrom, azul, dentre outros). O asbesto é utilizado para fabricação de produtos como telhas, tintas, embreagens e caixas d’água, por exemplo. Contudo, inalar asbesto no ambiente de trabalho pode ocasionar não só na asbestose, mas em diversos outros danos no sistema respiratório, que podem variar de uma fibrose no interior do pulmão até um câncer no revestimento do órgão.

Existem dois tipos de exposição ao asbesto/amianto: a exposição ocupacional e a exposição ambiental. A exposição ocupacional é a mais comum e ocorre quando um indivíduo é exposto às fibras de asbesto no ambiente de trabalho. Já a exposição ambiental é menos comum e ocorre geralmente em pessoas que residam próximas à empresas que façam uso do asbesto ou ao manusear roupas e objetos de funcionários que contenha asbesto, por exemplo.

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas mais comuns da asbestose são falta de ar e cansaço constantes, mesmo quando há pouco esforço. A gravidade da doença irá depender do tempo de exposição e da quantidade de asbesto que o indivíduo foi exposto. A asbestose é uma doença que manifesta-se à longo prazo, podendo apresentar sintomas no período de 05 anos (quando há forte exposição), e 10 anos (quando há exposição moderada ou leve).

Prevenção

Muitos grupos de Saúde e Segurança do Trabalho, como a Fundacentro (Fundação Jorge e Figueiredo) defendem o banimento do amianto do país, tendo em vista os diversos malefícios que a fibra traz para trabalhadores. O uso do amianto, inclusive, é proibido em mais de 70 países. A prevenção deve dar-se através do respeito aos limites de tolerância do asbesto fomentados pela legislação vigente, pela instauração do PPR (Programa de Proteção Respiratória), e pelo uso de respiradores adequados ao risco por todos os colaboradores expostos ao asbesto/amianto.

Empresas precisam ter atenção

Neste ano, uma empresa foi condenada pela Justiça Federal a pagar multa de 500 milhões de reais por danos morais coletivos resultantes da exposição ao amianto fora dos limites de tolerância seguros à saúde dos trabalhadores. Logo, é de suma importância que empresas respeitem os limites de exposição, a fim de preservar a saúde dos trabalhadores e evitar prejuízos financeiros às organizações.

Analytics Brasil faz uso das metodologias propostas pela NIOSH e OSHA, contando com ACREDITAÇÃO TOTAL DA AIHA (Associação Norte-Americana de Higiene Industrial) desde o ano de 1981. Além disso, os dados obtidos nos relatórios de nossas análises são comparáveis com os limites de tolerância da legislação brasileira e da ACGIH com o objetivo final de determinar se o local é seguro e está em conformidade, eliminando passivos trabalhistas e insalubridade associados com a exposição no local de trabalho.

Analytics Brasil: Higiene Ocupacional ao alcance de suas mãos.

Ficou alguma dúvida? Deixe seu comentário!

Fontes:

http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/cancer/site/prevencao-fatores-de-risco/amianto

http://www.fundacentro.gov.br/noticias/detalhe-da-noticia/2016/11/fundacentro-apresenta-resultados-de-estudos

http://sintestrn.org.br/novo/no-stf-fundacentro-defende-banimento-do-amianto/

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/08/1912226-empresa-e-condenada-a-pagar-r-500-mi-por-exposicao-ao-amianto-na-ba.shtml

Por: Redator Analytics Brasil

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Gmail

5 de agosto

Pare de analisar Fumos Metálicos em Higiene Ocupacional